Nossa Radio AO VIVO

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Ofidismo parte II


Acidentes ofídicos parte II
Bom como prometi, estou aqui novamente para dar continuidade ao assunto sobre ofidismo, pois, devemos sempre informar as pessoas sobre os perigos que esses animais representam.
Primeiramente farei um resumo sobre os cuidados que se deve tomar para evitar acidentes com serpentes peçonhentas.
a)      Usar botas de cano alto, porque 80% dos acidentes registrados ocorrem abaixo dos joelhos, 15% nos braços e antebraços, por isso, deve-se toda vez que mexer em folhiços, monte de lixo, palha, lenha e outros, usar luvas de aparas de couro. E nunca colocar as mãos em buracos (muito comum caçadores de tatus perderem uma das mãos por isso);
b)      As serpentes sempre procuram se abrigar em locais escuros, quentes e úmidos.
c)       Na lavoura de arroz são comuns nas taipas destas. Os horários preferidos são ao a noite, ao amanhecer e entardecer;
d)      Em lavouras de fumo são comuns debaixo das folhas mais rasteiras dessas plantas onde ficam enrodilhadas e passam desapercebidas;
e)      Sempre que se corta fumo para carregar no outro dia deve-se averiguar antes, pois é comum que se encontram protegendo-se ou espreitando alguma presa nos montes deixados no dia anterior;
f)       Evitar o acumulo de lixo, mato alto, entulho, tijolos, enfim qualquer lugar que sirva de abrigo para suas presas potenciais.
Primeiros socorros
a)      Lavar o local da picada com água podendo também usar sabão;
b)      Procurar manter o paciente deitado e relaxado;
c)       Procurar o serviço médico mais próximo;
d)      Levar o animal para identificação, se possível;
e)      Se sua cidade não possui o soro antiofídico, procure imediatamente a cidade mais próxima que tenha, pois, o sucesso do tratamento é aplicação deste o mais precocemente possível.     
Nunca faça
a)      Chupar no local da picada;
b)      Não perfurar ao redor da picada;
c)       Não cortar no local ou redor da picada;
d)      Não fazer torniquete ou garrote;
e)      Não colocar folhas, leite, cebola, alho, querosene, bebida alcoólica ou o diabo que for em cima da picadura.


Serpentes de Mata II
                           Retorno aqui o tópico sobre as espécies aqui existentes. Somente citarei as potencialmente letais encontradas em Mata-RS:
Nome comum
Nome cientifico antes da nova alocação de gêneros
Nome cientifico após nova alocação de gêneros
Cruzeira
Bothrops alternatus
Rhinocerophis alternatus  

Jararaca
Bothrops jararaca
Bothropoides jararaca
Jararaca pintada
Bothrops pubescens
Bothropoides pubescens
Jararaca pintada   *
Bothrops diporus  *
Bothropoides diporus  *
Coral verdadeira dos pampas
Micrurus altirostris
Micrurus altirostris
Fonte da nomenclatura SBH (sociedade brasileira de herpetologia); * Não registrei no meu trabalho, mas, alguns anos antes foi mandado exemplar  para o Butantã onde foi publicado esta espécie para Mata-RS.

Para sanar algumas duvidas mais sobre a existência de cascavel em Mata, afirmo. Segundo Lema (2002) as cascavéis no estado do RS ocorre ao norte do planalto e, para o sul, na Serra do Sudeste e Livramento escasseando para o Uruguai, onde ocorre em pequenas elevações orientais é abundante no planalto oriental do estado principalmente em Bom Jesus e Vacaria. Em minha pesquisa procurei por todo município e também não encontrei, muitas vezes fui chamado por pessoas que  supostamente haviam encontrados cascavéis e quando chegava dava logo de cara com jararacas pintadas ou então Mastigodryas bifossatus a famosa cotiara que todo mundo pensa que é venenosa e nem presas tem. O que de fato acontece é que estas espécies chacoalham a cauda muito rapidamente contra o folhiço, fazendo parecer para aqueles que não conhecem sobre o assunto ser guizo de cascavel. Cascavéis quando chacoalham seus guizos emitem um som audível a 30 metros e elas o fazem para dizer: estou aqui não se aproxime vou matá-lo. Um bom exemplo é que acontece na America do Norte onde manadas de búfalos ao se aproximar de uma cascavel logo ela da o aviso, e, estes desviam passando ao redor. Sem duvida é um dos sons mais intimidadores da natureza, por que, mesmo que eles a pisoteassem ela irá picar um ou mais deles e certamente ninguém quer ser o premiado. Outro fato é que cascavel ao picar ele continua a balançar o guizo pra dizer sai daqui ou vou te picar de novo então certamente se houvessem cascavéis já teríamos encontrado.  Então logicamente não se encontra em Mata Crotalus durissus.
            Quanto à pergunta Ignorância ou negligencia? Parece que alguns ficaram nervosos, não se ofendam, como muitas vezes falei para meus alunos, que as pessoas devem saber que todos nós de alguma forma somos ignorantes, pois eu sou ignorante em varias coisas, pois não sei como se faz uma cirurgia ponte safena, pois sou ignorante no assunto, assim como muitas pessoas são ignorantes sobre serpentes, assim como sou ignorante sobre como se faz o processo de enriquecimento de urânio por exemplo. Então, ser ignorante é uma herança de nascimento o que aprendemos é o que nos torna menos ignorante. Claro que também existe a burrice, que é aquela que premia aqueles que teimam em não deixar de ser ignorantes em determinados assuntos.
Na próxima vez que aqui escrever, irei comparar os efeitos dos venenos das principais serpentes venenosas do Brasil para sanar mais algumas duvidas. Um abraço, muito obrigado pelos inúmeros acessos e até a próxima.


                                           Alessandro Figliero de David 
                Biólogo Esp. Biologia da Conservação e Tecnologias Ambientais.
                                                CRBIO.88007/03.D
                                           CIDADE DE MATA RS