Nossa Radio AO VIVO

domingo, 15 de julho de 2012

Três candidaturas são questionadas.


ELEIÇÕES

MP alega que o trio estaria inelegível devido a compra de votos Ala descontente desiste de questionar a candidatura de Pozzobom

Três candidatos a vereador por Silveira Martins poderão não concorrer nas eleições de outubro. Dois deles ocupam vaga na Câmara de Vereadores atualmente. O pedido de impugnação do registro de candidatura se baseia na cassação que eles sofreram nas eleições de 2004, quando foram acusados de compra de votos e acabaram condenados.

O pedido de impugnação foi encaminhado pelo Ministério Público Eleitoral na sexta-feira e precisa ser protocolado pela Justiça Eleitoral. De acordo com o promotor eleitoral Fernando Barros, os candidatos não poderiam concorrer a cargos públicos por oito anos contados a partir de 2004. Marco Antônio Duara (PP) e Jandir Luiz Weber (PSDB), que atualmente ocupam cadeiras no Legislativo, e Edelmar Fioravante (PSDB) estariam inelegíveis.

Barros explica ainda que o processo de cassação só foi concluído após as últimas eleições municipais, por isso os três conseguiram concorrer normalmente em 2008. Quando contatado pelo Diário, Fioravante afirmou que ainda não sabia que a sua candidatura estava sendo questionada, uma vez que já teria cumprido pena:

– Eu não sei o que está acontecendo, a lei são eles que fazem – disse, referindo-se à Justiça.

Duara informou que ele e Weber ainda não foram notificados, mas já contrataram advogado para recorrer do pedido do MP Eleitoral.

– Nós temos convicção de que poderemos concorrer em outubro, pois já cumpri a punição prevista – afirmou Duara.

Weber foi procurado pelo Diário na sexta-feira, mas não foi localizado. O promotor Fernando Barros explica que os parlamentares já cumpriram parte das penas, como o pagamento de multa, mas que a inelegibilidade ainda vigoraria.

Faltaram documentos de 20 candidatos de Santa MariaEm Santa Maria, cerca de 20 candidatos a vereador foram notificados por não apresentarem todos os documentos exigidos para o registro.

De acordo com o promotor Fernando Barros, eles terão 72 horas para entregar os documentos que estão faltando, caso contrário terão os registros impugnados.
diário de santa maria.