Nossa Radio AO VIVO

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Estudante morre após passar mal em parque de diversões em Santa Maria

Pai de Érika Henriques Andrades, 13 anos, diz que não havia ambulância no local nem o Samu prestou socorro

Estudante morre após passar mal em parque de diversões em Santa Maria Pâmela Rubin Matge /Agência RBS
Adolescente foi enterrada na manhã desta quinta-feira no Cemitério São JoséFoto: Pâmela Rubin Matge / Agência RBS
Pâmela Rubin Matge
Revolta e tristeza marcaram a despedida da estudante Érika Henriques Andrades, 13 anos, que morreu após passar mal quando estava em um brinquedo do parque de diversões Tupã, instalado no Parque da Medianeira, em Santa Maria.
A menina morreu na noite desta terça-feira no Hospital Universitário de Santa Maria (Husm), onde estava internada desde domingo na CTI pediátrica. O hospital não informa a causa da morte da menina, mas segundo a família, ela teve uma parada cardíaca. O sepultamento ocorreu às 9h30min no Cemitério São José.
Segundo o pai da menina, o pedreiro Carlos Alberto Xavier Andrades, a filha foi ao local por volta das 18h de domingo na companhia dele, da irmã mais nova, de 8 anos, e de uma prima, de 12. O fato ocorreu no primeiro brinquedo, conhecido como Crazy Dance:
_ Nem deu tempo dela aproveitar, já na segunda volta aconteceu essa tragédia. Só vi ela desmaiada, com os braços caídos e o rostinho para o lado. Tanto carinho, tanto amor para criar essa menina e só o que me pergunto: cadê o atendimento? Como não tem uma ambulância ali? _ revolta-se o pai.
Com a filha desacordada no braços, Andrades conta que procurou por uma ambulância, mas foi informado de que não havia uma disponível no parque. Ele tentou ligar para o Samu, mas foi informado que não havia carro disponível no momento. De táxi, levou a filha para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA).
No local, conta o pai, a menina teve duas paradas cardíacas e foi encaminhada com urgência para o Husm. De acordo com Andrades, os médicos teriam dito que, se a adolescente tivesse recebido atendimento antes, as chances de sobreviver seriam maiores.

Parque alega que não foi problema com brinquedo
O responsável pelo Park Tupã em Santa Maria, Élton José Mayer, informou que soube do desmaio, mas não que ela havia morrido. Segundo Mayer, não foi nenhum problema relacionado aos equipamentos. Quanto a ter uma ambulância no local, o responsável afirmou que isso nunca foi exigido em nenhuma cidade por onde o parque passou.
A Samu informou que só irá se pronunciar após o meio-dia desta quinta-feira.

Luto na escola
Segundo o pedreiro, Érika fez tratamento quando criança para convulsões, mas há anos recebeu alta dos médicos e já não usava medicações. A menina não tinha diagnóstico anterior de problemas cardíacos. Ela já havia ido a parques de diversões sem nunca ter passado mal.
A adolescente estudava na Escola Estadual Rômulo Zanchi, que está sem aulas nesta quinta-feira, em luto pela morte da aluna.
_ Ela era a coisa mais querida. Uma boa filha, caseira, que gostava de cuidar da irmã mais nova e assistir filmes _ lembra o primo João Felipe Henriques Miola, 19 anos.
DIÁRIO DE SANTA MARIA