Nossa Radio AO VIVO

domingo, 2 de novembro de 2014

Ponte da Várzea do Toropi02/11/2014 | 20h45

Máquinas que trabalham no desvio na BR-287 não pararam no final de semana

Obra continua em ritmo acelerado e já está perto de outra margem da ponte

Máquinas que trabalham no desvio na BR-287 não pararam no final de semana Jean Pimentel/Agencia RBS
Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS
Na tarde deste domingo, dezenas de pessoas foram ver os escombros da ponte sobre a várzea do Rio Toropi, entre São Pedro do Sul e Mata, que caiu há uma semana. Mas, se a visão que elas tiveram ao olhar a BR-287 foi de uma rodovia interrompida, bastou voltar os olhos para o lado para ver um desvio quase concluído.

:: Leia todas notícias sobre a ponte da várzea do Rio Toropi
A nova estrada, que está sendo aberta junto à ponte caída já transpassou o curso d'água e chegou a outra margem. A passagem ligará um ponto a outro da rodovia, servindo de desvio para os motoristas que precisam seguir de Santa Maria em direção à Fronteira Oeste ou que vêm no sentido contrário.
Os funcionários da Cotrel, empresa contratada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) para a manutenção da rodovia, não pararam no final de semana. Enquanto as máquinas trabalhavam na construção do desvio, os caminhões cheios de pedras faziam fila no asfalto esperando o momento de despejar a carga. Além do empedramento, no meio da várzea, foram colocados tubos de concreto para permitir a passagem da água.
_ Estamos fazendo o desvio em tempo recorde _ diz João Carlos Tonetto, supervisor do Dnit em Santa Maria.
Também estavam dispostas na rodovia ontem as estruturas de concretos que o Dnit fornecerá às prefeituras da região para a recuperação de um pontilhão. A velha passagem de madeira fica em uma estrada de chão municipal que deve ser recuperada para ser usada como um outro desvio ou rota alternativa de ligação entre São Pedro do Sul e Mata. Segundo o secretário de Gestão de Santiago, Tiago Gorski, uma máquina já trabalha na melhoria da via, localizada ao lado de uma propriedade rural, perto da ponte sobre o Rio Toropi, a dois quilômetros da ponte que caiu.
DIÁRIO DE SANTA MARIA