Nossa Radio AO VIVO

segunda-feira, 12 de março de 2012

A importância da mulher



ARTIGO

A importância da mulher

No Dia Internacional da Mulher, que foi comemorado no último 8 de março, não deveríamos esquecer de lembrar de mulheres que um dia viveram no Brasil de diversas maneiras e deixaram para o futuro exemplos por meio de suas experiências de vida.

Se o passado for olhado, as imagens da Escrava Josefa, nascida aqui no Rio Grande do Sul, aparece no meio de um grande martírio na época da escravidão, por vários motivos. Faziam maldades para que ela deixasse de ser uma donzela de alto valor ético e espiritual. A outra escrava é a Anastácia, que viveu na Bahia e que deixou outro exemplo da conduta elevada que possuía. Ela viveu naquela época terrível em que seus descendentes africanos que vieram para cá sofreram horrores piores do que animais quando são maltratados por mentes doentias, que não respeitavam quem deveria ser considerado como irmão.

O dia 8 de março deste ano, mesmo que ele tenha sido considerado o Dia Internacional da Mulher, também foi escrito especialmente para a mulher negra dar valor e respeito a sua descendência africana. A mulher negra deve ter a consciência de sua origem universal de sempre lutar por sua raça, que é de alto valor histórico, cultural, religioso, social, e deve guardar grandes sentimentos patrióticos por terem surgido de um grande continente, como esse existente do outro lado do Oceano Atlântico. Muitos ensinamentos de lá partiram, por meio de seus antepassados, indo para todo o universo, para lugares onde houve escravidão e onde não houve.

Como aqui no Brasil está sendo mencionado nos altos cargos federais e políticos que deve haver a igualdade racial, é por esse motivo que a raça negra não pode ser esquecida pelos mais de 400 anos em que está aqui vivendo e formando seus núcleos de vida. Uns núcleos são dignos, outros vivem em estado precário, tendo ou não infraestrutura, como escolas, luz, água.

É neste sentido que se deve chamar a todas as mulheres negras, que vivem na busca de uma justiça social a respeito de sua origem, que terão de lutar na busca da verdadeira igualdade racial no chão territorial em que estão pisando e marcando sua importante presença histórica.

*Jornalista

RHÉA SYLVIA DE LOURDES FRASCA GÄRTNE